3 formas de apoio financeiro voltadas a mulheres para MBAs de excelência

Embora a maioria dos programas de MBA de excelência ainda apresente uma disparidade entre homens e mulheres compondo suas classes, a presença feminina está cada vez mais forte no mercado profissional e também nas escolas de negócios mais importantes do mundo. A participação das mulheres nas turmas ingressantes nas melhores escolas de negócios dos Estados Unidos atingiu um recorde de admissões em 2020 em um cenário muito prejudicado pela pandemia.

No ranking de classificação das top 20 escolas de negócios, de acordo com a Bloomberg Businessweek, a Tuck School of Business da Dartmouth foi a que mais mais cresceu, considerando que 49% de sua nova classe era composta por mulheres. Logo atrás, está a Stanford Graduate School of Business com 47%, de presença feminina nas classes que começaram em agosto e setembro deste ano de 2020 para a maioria dos programas.

Apesar do crescimento recorde deste ano, pode-se considerar que foi um crescimento relativamente baixo, pois ficou pouco acima dos 38,95% registrado no ano passado, e apenas um ponto percentual acima dos 38% registrados em 2016, quando a Businessweek começou a acompanhar esses dados.

Mas tudo isso levanta uma questão muito importante: mesmo com os crescimentos anuais, por que as mulheres ainda não constituem nem metade dos alunos das Top Business Schools do mundo?

Atualmente, no Brasil, as mulheres ganham apenas 78,75% dos salários de homens tendo o mesmo nível de escolaridade e idade, segundo dados da OCDE, e entre alguns grupos educacionais, essa diferença é ainda maior, também a nível mundial.

Mas, felizmente, há uma série de iniciativas que visam promover a inclusão de mulheres em áreas competitivas do mercado de trabalho e aumentar a presença feminina nos setores estratégicos da economia.

Todas essas barreiras sociais que ainda impedem uma maior igualdade entre homens e mulheres no mundo dos negócios fazem do ingresso em um programa de MBA de excelência não só uma oportunidade para construir uma carreira em setores mais tradicionais como Bancos e Consultorias, mas também se torna crucial para que mais mulheres possam desenvolver todo o seu potencial e não sejam prejudicadas por padrões sociais que insistem em persistir.

Por isso, listamos a seguir 3 programas e organizações que oferecem bolsas exclusivas para mulheres e outras oportunidades de estudos no exterior. Confira:

American Association of University Women (AAUW)

A American Association of University Women é líder nos Estados Unidos quando a questão é promover a igualdade e acesso à educação para meninas e mulheres. Todos os anos, ela concede cinco bolsas para estudantes de mestrado, doutorado e pós-doutorado. As bolsas são oferecidas para mulheres não-americanas estão em busca de uma pós-graduação, mestrado ou doutorado nas instituições americanas.

Faculty for the Future Fellowship

Da Fundação Schlumberger, o programa Faculty for the Future Fellowship existe desde 2004 e visa apoiar mulheres de países em desenvolvimento que almejam fazer um PhD ou desenvolver pesquisas na área de Ciência, Tecnologia, Engenharia e Matemática, além de mulheres que buscam o pós-doutorado no exterior.

Forté Fellows Program

A Forté é uma associação sem fins lucrativos cujo objetivo inserir mais mulheres nos programas de MBA (Masters of Business Administration). Atualmente, são mais de 5 mil estudantes contempladas com bolsas, somando mais de 110 milhões de dólares de investimento da Forté. Além do apoio financeiro para permanecer na universidade, as mulheres selecionadas são indicadas para empregos na área, nas empresas que patrocinam a iniciativa e podem até assumirem cargos de liderança em empresas como a Amazon, a ExxonMobil, o Citi e o Deustche Bank.

Related posts